Dia das Empresas Gráficas

Hoje, nós da indústria gráfica comemoramos não apenas o nosso dia, mas séculos de evolução tecnológica e muito esforço até termos a praticidade em impressão que temos atualmente. Por muito tempo, os registros humanos ficavam documentados em materiais escritos ou entalhados à mão, processos que impediam que uma obra textual pudesse ser veiculada em massa.

Foi durante o final do século II d.C., que os chineses desenvolveram um método ainda arcaico, mas mais eficiente de criar seus impressos – já que já tinham os papéis e as tintas. Eram feitas placas de mármore (400 anos depois, substituído pela madeira), onde se aplicava a tinta, e em seguida, se pressionava a placa contra o papel. Familiar, não? Pense nessa placa como um carimbo gigante. 

Já no século XI, um alquimista chinês, Pi Cheng, criou o que seriam os primeiros tipos móveis: letras que poderiam ser rearranjadas para formarem diferentes textos. Infelizmente, seu projeto acabou passando despercebido e não se popularizou.

No século VIII, o método se tornou uma forma de barganha entre chineses e árabes, mais como um serviço prestado do que a venda do método em si. 

Enquanto isso, no mundo ocidental, os impressos foram ganhar vida apenas em meados do século XV, com os experimentos do alemão Johannes Gutemberg, ao testar caracteres, letras, em alto relevo ao invés de esculpidas para “imprimir” em papel. O experimento deu origem à sua primeira impressão, feita de 1450 a 1455: uma bíblia, inteiramente impressa. Seu sucesso se deu pelo aprimoramento do método, criando não apenas os tipos, separados e propostos de trás para frente (para que saíssem na perspectiva correta no papel), mas uma máquina que trouxesse uma forma de mais rapidamente rearranjar os tipos, e rapidamente prensá-los contra o papel. Começou, assim, a era da impressão tipográfica, que tornou livros e outros materiais contendo conhecimentos mais acessíveis, embora que ainda restritos aos mais abonados da sociedade.

Esse método foi utilizado até o século XIX, quando as impressões agora iam além de livros, mas chegavam também aos jornais, impressos mais simples que transmitiam notícias atuais para a população.

De lá pra cá, a tecnologia evoluiu drasticamente, até o ponto em que estamos agora – a impressão gráfica é ultra-veloz, precisa, eficiente e estamos entrando até em uma nova era: a das impressões 3D. 

Onde vamos chegar, apenas o futuro dirá – mas se o curso da história nos ensinou algo, é que há sempre espaço para inovação, seja no setor gráfico, ou em qualquer outro.

É com essa pincelada na história de nossa profissão que gostaríamos de homenagear a todos que trabalham na indústria gráfica: vocês movem a informação, de página em página, ao redor do mundo!

Parabéns pelo nosso dia! <3

 

Texto por André Schelgshorn


Gostou desse post?
Compartilhe com alguém que possa gostar. ❤

5 dicas para fazer um folheto de sucesso

Os folhetos estão entre as melhores ferramentas de comunicação de uma marca com o seu consumidor. Porém, ao contrário do que muitos pensam, fazer um folheto não envolve apenas criar um material e enviá-lo para a gráfica online. Para que ele realmente seja efetivo, é necessário planejá-lo de uma maneira que a informação seja passada de forma simples e criativa aos leitores.

Pensando nisso, separamos 5 dicas para você criar um folheto de sucesso e evitar que ele vá direto para a lixeira, como tantos outros. Acompanhe!


1. Aposte em um título de impacto
 

O título será sua primeira, e talvez única chance de chamar a atenção do leitor. Sabendo disso, aposte em frases curtas e com efeito, adotando um subtítulo, se necessário, para complementar a ideia inicial. Use também fontes maiores e de impacto, com cores chamativas que acompanham a paleta dos outros elementos presentes no folheto.


2. Seja conciso no texto

O texto do seu folheto deve promover o que sua empresa faz, por isso, vá direto ao ponto e comunique seus serviços de forma clara, livres de erros gramaticais ou de digitação. Lembre-se também de deixar em evidência seus contatos, como telefone, e-mail e endereço, e a ação que você espera que o leitor tome após ler o folheto, como comparecer em algum local ou evento.


3. Use imagens

Um folheto apenas com textos escritos pode se tornar desinteressante em poucos segundos. Por isso, inclua sempre uma ilustração, foto ou imagem que represente aquilo que está divulgando. E lembre-se: a qualidade da imagem é muito importante para garantir o foco no momento da impressão. Na internet, existem uma série de bancos de imagens em alta qualidade que podem te auxiliar, caso você não tenha uma foto própria do seu produto ou serviço.


4. Ofereça descontos

Uma maneira muito eficaz de chamar a atenção do leitor é oferecer descontos ou comunicar promoções no folheto. As pessoas no geral adoram participar de promoções, ganhar brindes e cupons de desconto. Por isso, incentive seu consumidor a entrar em contato com você através desses gatilhos.


5. Cuidado com a aparência

Para o seu folheto ter sucesso, é preciso estar atento a algumas boas práticas relacionadas ao layout do material, como fontes, cores e alinhamento. Um layout simples, sem muita “poluição visual” tem resultados melhores pois facilita a leitura e o entendimento da mensagem.

Recomenda-se que um folheto tenha, no máximo, duas fontes, e que ambas estejam em tamanhos legíveis na hora da impressão. Além disso, verifique se as cores escolhidas conversam entre si e com a mensagem que você está querendo passar. Por exemplo, materiais da área da saúde tendem a adotar cores mais leves, como azul ou verde.

Aplicando as dicas acima, associadas à escolha de uma gráfica online de qualidade para a impressão, a confecção do seus folhetos será muito mais simples e com mais chances de levar clientes até o seu negócio! E se você está em busca da gráfica online certa para cuidar dos seus materiais gráficos, conheça nossos serviços e entre em contato!

Material de apoio: como utilizar ao seu favor

Um bom vendedor deve se preocupar com diversos aspectos durante o processo de vendas. Postura, persuasão, apresentação pessoal e boa linguagem são algumas das ferramentas indispensáveis para o profissional de vendas. Mas tudo isso pode não ser suficiente sem um material de apoio. Cartões de visitas, folhetos e folders são decisivos para convencer os clientes de que o produto que você oferece é, realmente, o melhor do mercado.

Algumas pesquisas mostram que, mesmo com a evolução dos canais digitais, principalmente no que envolve a venda de produtos físicos, os materiais de apoio, como amostras, folhetos e brindes, são realmente relevantes na tomada de decisão de um cliente.

Para você entender melhor como usar materiais de apoio a seu favor, conheça 4 opções que não podem faltar na sua abordagem de venda:

Cartão de visita
No primeiro contato com o cliente, o cartão de visitas deve ser entregue para que o vendedor se apresente. No cartão, é importante constar informações de contato como nome, cargo, e-mail, telefone fixo e móvel, além de especificações da empresa que você representa, como logotipo, site e redes sociais. Ao receber o cartão, o futuro cliente saberá com quem está negociando e poderá entrar em contato após a sua visita.


Folders e Folhetos
Um simples pedaço de papel, produzido em diferentes gramaturas, pode passar mais confiança para o cliente, ajudando a convencê-lo sobre a compra. Os folders e folhetos resumem os seus serviços de maneira simples e criativa, e podem ainda comunicar promoções e ofertas especiais. Provavelmente esses materiais serão lidos após a sua visita e reforçarão a mensagem que você passou quando o visitou.

Blocos de notas
Os blocos de nota geralmente servem como brindes e as pessoas adoram! Ele devem conter o logotipo da empresa que você representa e podem ter diversos formatos e tamanhos. Além de serem uma excelente opção de mostruário e brinde para o cliente que você está tentando conquistar, ele também serve para deixar sua marca exposta à outras pessoas, conforme é usado.

Catálogos e amostras
Um vendedor acompanhado de um catálogo de produtos e amostras, com certeza, tem muito mais chance de sucesso! Esses materiais ajudam as pessoas a visualizarem melhor e até mesmo pegarem na mão o que você está tentando vender. O catálogo de produtos geralmente fica com o cliente, assim ele pode olhar com calma e escolher o que mais lhe interessa. As amostras, dependendo da quantidade que você possuir, também podem ser deixadas com o cliente para testes.

É importante ressaltar que esses materiais devem ser utilizados de forma natural, sem “empurrar” tudo de uma vez para cima do cliente. Utilize esses recursos de acordo com o andamento da conversa. Por exemplo, quando for explicar sobre as especificações do produto que está tentando vender, mostre essas informações através do catálogo ou, ainda melhor, por meio das amostras.

Aproveite nossas dicas, aumenta suas vendas e garanta o sucesso do seu cliente!
Na MisterPrint, todos os vendedores recebem um kit com os nossos produtos para demonstração, aproveite!

Open chat
1
Precisa de ajuda?
Olá. Podemos ajudar?

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nosso site, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa política de privacidade.